VENEZA

1/4
Quando Ir?
Veneza é belíssima o ano todo, mas combina mesmo com estações mais amenas, já que a única forma de conhecê-la de verdade é caminhando bastante. Estamos falando dos meses de abril a outubro, sendo o verão (de junho a agosto) um dos períodos mais quentes, cheios e mais caros para hospedagem. A dica para economizar, portanto, é reservar o hotel com o máximo de antecedência.
 
Em setembro, a cidade fica um pouco mais vazia e o tempo pode variar entre dias de calor e noites frescas. É nesse período que acontece o famoso Film Venice Festival
o Festival Internacional de Cinema e por conta da grande procura por hospedagem, principalmente pela indústria cinematográfica mundial, os preços de hotéis podem acabar ficando mais salgados.
 
Já outubro é considerado um mês de transição climática e o fenômeno conhecido localmente como acqua alta, alagamentos em bom português, pode acontecer a qualquer momento. Apesar disso, os alagamentos não são sérios ao ponto de prejudicar a estada na cidade, até porque ocorrem em algumas áreas somente.
Como a água dos canais de Veneza não é considerada das mais limpas, muitos turistas utilizam, nesse período, uma espécie de proteção de plástico que cobre os pés e as pernas, evitando o contato com a água. Isso permite que a pessoa continue explorando a cidade sem maiores percalços.
 
Inverno
Os fãs de clima frio e aqueles que preferem uma cidade menos cheia podem optar pelo inverno, ou seja, os meses de dezembro, janeiro e fevereiro. As temperaturas estarão bem baixas por isso, vá preparado, com casaco apropriado, meias, botas, cachecol e gorro. 
 
Em fevereiro, inclusive, Veneza sedia uma das festas mais famosas e tradicionais que existem: o Carnaval,que tem o colorido e as belas máscaras como marca registrada. Aqueles que visitarem a cidade em outra época do ano, no entanto, poderão adquirir ou apenas apreciar as máscaras em ateliês, lojas e feiras espalhadas pela cidade.
O que Fazer?
Como toda cidade muito turística, Veneza tem alguns pontos de parada obrigatória, começando pela belíssima e imponente Piazza San Marco, o verdadeiro coração da cidade. Mas além da formidável basílica que dá nome à praça, estão no local o famoso campanário, o Palácio Ducale, o Museu Correr e o Museu Arqueológico.
De uma área da praça, também é possível avistar mais duas grandes preciosidades da história da arte e da arquitetura do outro lado do Grande Canal: as basílicas de São Jorge Maior e de Nossa Senhora da Saúde.
 
Mas não para por aí... Igrejas centenárias são algumas das grandes atrações da cidade e estão por todas as partes. Nosso destaque vai para as impressionantes basílicas de São Pedro de Castello, Santa Maria Gloriosa dei Frari e de São João e São Paulo.
 
Pontes e Canais
Outra atração imperdível de Veneza são as diversas pontes, começando pela mais famosa delas, a Rialto, mas sem nos esquecer da ponte dell' Accademia, a dos Suspiros, da Constituição e dos Descalços. Merecem a visita, ainda, o mercado Rialto, museus, palácios e as ilhas de Murano, Burano e Torcello.
 
O maior barato de Veneza, contudo, é caminhar e perder-se entre campos e ruelas, descobrindo paisagens, preciosidades arquitetônicas e marcas do tempo, sentindo-se em outra era. Visite os cartões postais, mas não deixe de apreciar a beleza que se descortina e surpreende a cada esquina. Uma das poucas cidades do mundo onde ninguém se importa em se perder, pois cada caminho é uma descoberta!
Como Chegar?
Avião
Veneza é servida pelo Aeroporto Marco Polo, que fica a pouco mais de 10 quilômetros da cidade. Saindo do Brasil, é possível chegar por diversas companhias, após conexões em outras cidades europeias, como Roma, Amsterdã e Frankfurt.
Companhias low cost também são boas opções para os que já estiverem na Europa e desejam economizar na passagem. São elas: EasyJet, Transavia, Jet2, entre outras. 
 
Trem
Veneza tem duas estações: Mestre e Santa Lucia, mas é esta última que recebe turistas. Mas não se preocupe com isso Santa Lucia é sempre a última (ou primeira) estação de suas rotas (Veneza - Milão, Veneza - Udine e Veneza - Trento). Há diversas opções de serviço e tarifa, dos ultrarrápidos Freccia aos econômicos regionales. Os trens são também uma ótima opção para visitar cidades próximas.
 
De Vaporetto
Deve ser o transporte público mais caro do planeta: um bilhete simples custa 7,50 euros (vale por 60 minutos numa mesma direção). É bem provável que você não consiga ir sentado -- e sua mala certamente irá em pé também. Se você planeja fazer outras viagens de vaporetto nas 24, 48 ou 72 horas seguintes, compre direto um passe (leia mais adiante, em "Como se deslocar em Veneza"). Existem também passes de vaporetto combinados com o ônibus do aeroporto.
 
Pois bem, o vaporetto vai deixar você numa estação próxima ao seu hotel. Da estação ao hotel é por sua conta, inclusive a passagem pelas pontes cheias de degraus. Para o recém-chegado, orientar-se pelas vielas venezianas é superdifícil, mesmo com mapa ou instruções detalhadas à mão (com o GPS funcionando no celular você consegue, mas é bom ter visto o caminho antes, no site do hotel).
 
Outro jeito de evitar maiores perrengues é deixar a mala grande na estação (13,80 euros por 24 horas), comprar um passe de vaporetto, achar o hotel só com a mochila e deixar para voltar com a mala mais tarde, depois de ter aprendido o caminho direitinho. (Esse conselho vale especialmente para quem se hospedar nos cantinhos mais remotos e menos turísticos de bairros como San Polo e Dorsoduro.)

Carro
Assim como os trens, os carros e ônibus chegam à parte turística de Veneza pela Ponte Della Libertà, que atravessa a Laguna de Veneza e chega à Piazzale Roma, onde fica a estação Santa Lucia. O problema é que os veículos não circulam pelas ruelas e pontes da cidade. Se estiver com um carro alugado, terá de deixá-lo em um estacionamento, o que será um custo extra além da diária paga para o veículo ficar parado: não compensa! 
Dicas
Documentação
Cidadãos brasileiros não precisam de visto de turismo para permanência de até 90 dias na Itália e em outros países-membros do Acordo Schengen (Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Islândia, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Países Baixos, Polônia, Portugal, República Checa, Suécia e Suíça), porém, no momento do desembarque, serão exigidos por agentes de imigração um passaporte válido e outros comprovantes, como passagem de ida e volta, comprovante de recursos financeiros, seguro-saúde válido em todos os países-membros do acordo, entre outros.
 
Ingressos e filas
Em Veneza, acaba sendo comum enfrentar longas filas para adquirir o ingresso de certas atrações, isso porque muita gente deixa para fazer isso de última hora. Se você não gosta de enfrentar filas ou não terá tanto tempo na cidade, a dica é garantir o seu tíquete com antecedência.
Adquirindo o passe I Musei di Piazza San Marco, por exemplo, você terá direito à entrada sem filas nos seguintes (e principais) museus: Palácio Ducale, Museu Correr, o Museu Arqueológico e a Biblioteca Nazionale Marciana. Todas essas atrações por 19,50 EUR (adultos) e 12,50 EUR (crianças e estudantes).
 
A entrada na Basílica S. Marco é gratuita, menos a entrada do museu/terraço, que fica lá dentro e a fila não costuma ser pequena, porém, ela anda bem rápido. A dica aqui é, antes de pegar a fila, procure o guarda-volumes da igreja que fica do lado de fora (placas indicativas na parte da frente mostram o exato local) e deixe lá os seus pertences como mochilas e malas.
É expressamente proibida a entrada no recinto com algum desses itens, somente bolsas pequenas são permitidas! A checagem é feita na entrada com o auxílio de seguranças e raio-X. 
 
Água mineral de graça
Dica de ouro para quem deseja economizar em Veneza: fontes como esta da foto abaixo, que jorram água potável sem parar, estão espalhadas por vários cantos da cidade. Isso quer dizer que você só precisa ter a sua própria garrafinha plástica e reabastecê-la sempre que for preciso. Simples, seguro e de graça!
 
Restaurantes
Veneza é uma cidade extremamente turística, portanto, armadilhas para turistas quando o assunto é alimentação não são poucas. Evite restaurantes na Praça São Marco/Rialto/orla de veneza e redondezas. Em geral, os preços cobrados na maioria desses locais são exorbitantes e a qualidade da comida muito ruim.
 
Evite restaurantes que disponibilizam fotos dos pratos no cardápio, vários deles colocam estes cardápios afixados na porta do estabelecimento. Também desconfie de restaurantes que colocam seus funcionários na porta para chamar o cliente; bons estabelecimentos são naturalmente cheios pela qualidade do que é servido, e não o contrário.
Segurança
Veneza é uma cidade bem segura para o turista, no entanto é preciso ficar atento em áreas como a da Praça São Marco e a Ponte Rialto, que costumam ficar bem cheias e acabam tornando-se alvos de batedores de carteiras. Ao visitar locais muito cheios, tome muito cuidado com seus pertences!

777 TUR: Desde 2010!!!

Faça Seu Pedido Abaixo:

AV.BARÃO DE MAUÁ, 684, 1° ANDAR - MAUÁ SÃO PAULO - 09310-000

TELEFONE: (11) 2375-7377 / (11) 2375-7477

WHATSAPP: (11) 97218-9884

E-MAIL: contato@777tur.com.br

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • LinkedIn - Black Circle
  • Google Maps - Círculo preto