MENDOZA

1/4
Quando Ir?
Mendoza é uma cidade para ser visitada durante todo o ano. Cada estação tem um charme particular e o visitante nunca ficará à toa. Basta escolher a época do ano que mais combina com você e seguir para as maravilhosas terras mendocinas.
 
O clima na região é árido; as chuvas, escassas; e as estações do ano são bem definidas. O verão é quente, úmido e tem maior incidência de chuvas, porém nada que afaste os turistas. As temperaturas ficam em torno de 25°C (chegando fácil a mais de 30°C). No outono, a cidade ganha cores em tons de ocre e a paisagem fica belíssima. A temperatura é amena, em torno de 18°C, e o friozinho noturno começa a chegar.
 
No inverno, a temperatura cai e pode ficar abaixo de zero. O clima torna-se muito seco e a neve toma conta das regiões mais altas (com sorte, você verá vinhedos cobertos de neve). A primavera chega com a volta do verde e com temperaturas extremamente agradáveis.
 
As bodegas são interesse da maioria dos turistas que vão à região. Para quem se imagina colhendo uvas do pé e andando de bicicleta entre vinhedos recheados de belos cachos, nada como os meses de fevereiro a abril, quando ocorre a colheita da uva (a festa da Vendimia acontece no primeiro sábado de março). Não fique triste se chegar a Mendoza e encontrar vinhedos secos; as bodegas funcionam durante todo o ano. Fora da temporada da uva, os preços das visitas e as degustações de vinho costumam ser mais camaradas e os tours, mais exclusivos.  
 
A melhor época para aproveitar a neve é de junho a agosto. As estações de esqui abrem as portas e o turista pode aliar os excelentes vinhos aos esportes de inverno. O verão é a alta temporada da uva e dos esportes de aventura: caiaque, rafting, parapente, trekking e asa delta são um respiro em meio aos barris de carvalho.
 
Para quem pretende fazer trilhas pelo Parque Provincial Aconcágua, é preciso ficar atento às datas em que ele permanece aberto, normalmente de novembro a março (consulte sempre o site oficial para ver os dias exatos, que mudam todo ano. O importante é ter em mente que, em qualquer época do ano, Mendoza oferece belíssimas paisagens, passeios e taças de vinho.
O que Fazer?
Ninguém duvida que as bodegas sejam o grande atrativo de Mendoza, mas, depois de algumas taças, tours e degustações, você talvez comece a achar os passeios um pouco repetitivos. Afinal, não dá pra viver só de vinhos mesmo que estejamos falando de vinhos espetaculares! Para dar um descanso ao corpo (e ao fígado), que tal conhecer um pouco mais da cidade? Não serão necessários mais do que dois dias para circular nos principais pontos turísticos e avenidas. É mesmo um intervalo entre as bodegas e os esportes de aventura. O passeio vale a pena!
 
O centro é bem arborizado e as ruas são tranquilas e seguras (mesmo durante a noite). Caminhe ao longo de toda a Peatonal Sarmiento e aproveite para visitar as principais praças da região: Independencia, España, Itália, Chile e San Martín são perfeitas para um descanso ao longo do dia, além de serem ponto de encontro cativo dos mendocinos.
 
Para ter uma visão geral da cidade, visite o Cerro da Gloria; a vista de Mendoza é panorâmica e o pôr do sol, um espetáculo à parte. Para chegar é preciso passar ou passear pelo Parque General San Martín, o maior da América Latina.
 
Está sobrando tempo e ainda cabem algumas visitas? Experimente conhecer um pouco mais sobre Mendoza nos centros culturais. O Museo Histórico General San Martín conta a história da independência argentina. Para conhecer mais sobre Mendoza no tempo de colônia visite o Museo del Area Fundacional e o Museo del Pasado Cuyano. Já o Museo Municipal de Arte Moderno (localizado na Plaza Independencia) tem mostras de diversos artistas locais.  
 
Alguns dos mais famosos pontos turísticos não estão na cidade. Ao longo da Ruta Nacional n° 7, a quase 200km do centro, estão a Puente del Inca, a Puente Picheuta e o Aconcágua. Além, é claro, de a própria estrada ser um dos mais belos cartões-postais de Mendoza. Não deixe de separar um dia de sua estada para passear por lá!
Como Chegar?
Prepare-se para exercer todo o seu talento em busca de promoções de passagem e organização de itinerário. Para chegar até Mendoza, eles serão extremamente necessários. Mesmo sendo um destino vizinho e relativamente comum, ainda é muito caro desbravar os vinhedos mendocinos.
 
É importante saber quanta verba e tempo você dispõe para fazer esse trajeto. As principais vias de acesso para quem quer chegar a Mendoza são Buenos Aires (distante 1100km) e Santiago (distante 400). Que tal começar avaliando a relação custo-benefício de todas as combinações?
 
Avião
Esta é a maneira mais prática e rápida de ir para Mendoza, porém nem sempre é a mais barata; pelo contrário: dependendo da cidade em que você estiver, o trajeto pode custa o mesmo que uma viagem para a Europa. Atualmente não existem voos diretos do Brasil para Mendoza. 
 
As companhias aéreas que operam voos do Brasil para a região são: Latam, Gol e Aerolíneas Argentinas. Todas oferecem voos com escala em Buenos Aires, Córdoba ou Santiago. Se a escala for em Buenos Aires, fique atento à troca de aeroportos. Você provavelmente chegará no Ezeiza, mas pegará o voo de Buenos Aires para Mendoza no Aeroparque. Calcule bem o tempo entre as escalas para não perder o segundo trecho. Algumas companhias aéreas oferecem gratuitamente o transfer entre os dois aeroportos (o valor médio é de 400 pesos por pessoa, quase o preço da passagem de ônibus de Buenos Aires a Mendoza). 
 
Se o dinheiro não der para fazer todo o trajeto de avião, que tal pegar um trecho aéreo até Buenos Aires ou Santiago e depois escolher outro meio de transporte para Mendoza?
 
Ônibus
Seguro, rápido e confortável, o ônibus é muito procurado pelos turistas que visitam a região de Mendoza. O transporte é eficiente saindo das duas capitais: Buenos Aires e Santiago. 
 
- Saindo de Buenos Aires:
São treze horas de viagem para percorrer os 1100km que separam a capital Buenos Aires da província de Mendoza. Os ônibus são extremamente confortáveis e muitos têm poltronas que viram cama, além de oferecer refeição, bebidas, cobertores e entretenimento de bordo. A estrada é de excelente qualidade e duplicada em vários trechos. As empresas rodoviárias disponibilizam diversos horários, incluindo viagens noturnas.
 
A opção é bem-vinda para quem só tem dinheiro para ir de avião até Buenos Aires. O trecho custa, em média, 400 pesos e o preço é semelhante à diária do aluguel de um carro. Se não estiver disposto a dirigir, o ônibus é para você!
 
- Saindo de Santiago, no Chile:
Mais do que um transporte, o ônibus de Santiago para Mendoza é uma experiência lindíssima. A viagem de sete horas percorre 400km e atravessa a Cordilheira do Andes pelos famosos Caracoles (nome dado ao trecho curvilíneo da estrada). Escolha uma passagem no período diurno, cole na janela e aproveite a paisagem.
 
A viagem é mais curta, rápida e bonita do que por Buenos Aires, mas nem tudo são flores: durante o inverno, não é raro que as estradas permaneçam fechadas por conta de nevascas. A passagem pela fronteira costuma ser demorada, especialmente no verão, e o voo para Santiago custa mais do que para Buenos Aires. Para compensar, o valor da passagem de ônibus é mais baixo: em média, 200 pesos por trecho.
Dicas
Documentação
Brasileiros e outros residentes do Mercosul estão liberados do visto de entrada na Argentina. 
O documento necessário para entrada é o passaporte brasileiro, ou a carteira de identidade original emitida pela Secretaria de Segurança Pública (SSP). Ela deve estar em bom estado e ter emissão inferior a dez anos. 
 
Tenha sempre em mãos todos os comprovantes de passagens aéreas e hospedagem; eles podem ser solicitados na entrada no país.
 
Ao cruzar a fronteira de Mendoza de carro você passará por uma inspeção sanitária. Frutas e outros alimentos podem ser retidos. 
 
Viajar com seguro não é obrigatório, mas é bom considerar fazê-lo. É bastante comum pessoas desacostumadas a grandes altitudes sofrerem com o mal de altura.
 
Saúde
Tenha sempre um plano de saúde internacional. 
 
A água da torneira é potável e vem direto dos Andes. Beba muita água e sucos naturais durante o verão. O calor é intenso e a chance de desidratação, também.
 
Jamais esqueça o protetor solar, mesmo que a neve esteja ao fundo da paisagem. Uma camisa clara de manga comprida, óculos escuros e chapéu também são itens obrigatórios para quem pretende passear pelos vinhedos.
 
Língua
A língua oficial na Argentina é o espanhol, porém é comum que as pessoas falem bem o inglês e o nosso "portunhol".
 
Moeda
A moeda oficial é o peso argentino (ARS), mas dólar e euro são bem aceitos e têm câmbio bem mais favorável.
 
Fuso Horário
O fuso horário é o mesmo de Brasília (exceto no horário de verão).
 
Tomada
O padrão de voltagem é 220V. A tomada é de dois pinos redondos (como o antigo padrão brasileiro) e também existe a tipo "i", com dois pinos retos diagonais e um pino reto. Leve sempre um adaptador universal.
Segurança
Mendoza é uma cidade relativamente segura, porém evite deixar bolsas, câmeras e celulares aos olhos e nas mãos de desconhecidos. Pequenos furtos são constantes. 
 
O telefone de emergência da polícia é 911, número que também serve de auxílio ao turista.

777 TUR: Desde 2010!!!

Faça Seu Pedido Abaixo:

AV.BARÃO DE MAUÁ, 684, 1° ANDAR - MAUÁ SÃO PAULO - 09310-000

TELEFONE: (11) 2375-7377 / (11) 2375-7477

WHATSAPP: (11) 97218-9884

E-MAIL: contato@777tur.com.br

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • LinkedIn - Black Circle
  • Google Maps - Círculo preto