JALAPÃO

1/4
Quando Ir?
O Jalapão é destino para ser visitado durante todo o ano, porém há dois períodos bem distintos que podem influenciar na decisão da melhor data para viajar: a estação seca, que vai de maio a setembro, e a estação chuvosa, de outubro a abril. O calor é constante na região e, mesmo durante o período de chuvas, o sol não deixa de aparecer. A variação de temperatura durante o ano é pequena, sendo a máxima entre 30°C e 34°C e mínima entre 15°C e 20°C. A temperatura da água dos fervedouros e cachoeiras é sempre agradável e um alento no intenso calor do Tocantins.  
 
A região do Jalapão ainda não oferece uma boa infraestrutura e muitos pontos turísticos como os fervedouros têm limite de visitantes. Para evitar pegar fila e esperar demais para conhecer uma atração, fuja dos feriados prolongados e férias escolares, quando os grupos são maiores e o excesso de turistas atrapalha um pouco os passeios. O número de pousadas nas cidades de apoio também é bem limitado. Caso viaje nos feriados e por conta própria, não deixe de fazer a reserva com antecedência.
 
Estação seca - de maio a setembro
A estação seca do Jalapão vai dos meses de maio a setembro. Nesse período, os dias são quentes e as noites têm temperaturas amenas. As chuvas são bem escassas e quanto mais perto do mês de setembro, mais seco estará o ar. O mês de maio é o melhor período para visitar o Jalapão, quando a umidade ainda está alta, quase não há chuvas e a vegetação ainda está verde.
 
À medida que a seca avança, a baixa umidade se torna incômoda, especialmente para quem mora em regiões úmidas do país. Para compensar, quanto mais seco, mais lindo o pôr do sol. Julho é o mês com menor incidência de chuva e também o período auge da florada dos ipês. Setembro marca a transição da seca para as chuvas e o início da colheita do capim dourado.
 
Diferente do que acontece em muitos destinos, a estação seca é a mais difícil para quem pretende enfrentar as estradas do Jalapão por conta própria. O terreno arenoso se torna uma armadilha para motoristas pouco experientes em veículos com tração nas quatro rodas e é comum os carros atolarem nas estradas de areia fofa. Com chuva, o terreno fica mais compacto, o que facilita a circulação dos 4x4. 
 
Estação chuvosa - de outubro a abril
As chuvas no Jalapão começam entre setembro e outubro e atingem o auge no mês de janeiro, quando o índice pluviométrico na cidade de Mateiros chega a 225 mm, contra zero em julho (mês mais seco). A estação chuvosa tem temperaturas semelhantes à da seca, contudo o ato de respirar é um pouco mais confortável devido à alta umidade. O lado ruim da estação chuvosa é óbvio: o tempo ruim pode atrapalhar os passeios em cachoeiras, a subida na trilha da Serra do Espírito Santo e dificulta ver um belo pôr do sol, um dos maiores espetáculos do Jalapão.
 
Para quem pretende viajar por conta própria, a estação chuvosa é a mais indicada, isso porque as estradas de areia ficam mais compactadas, o que ajuda a locomoção de motoristas pouco experientes em 4x4. Ainda que seja mais fácil, não recomendamos ir ao Jalapão dirigindo por conta própria (salvo motoristas muito experientes em trajetos de areia).
O que Fazer?
A exuberante região Jalapão atrai visitantes que estão em busca de dias de descanso em meio a paisagens espetaculares. Na região não há grandes cidades, o sinal de celular é escasso e muitas pousadas e campings não oferecem televisão. É o lugar ideal para desconectar do lado urbano da vida e se ligar ao que há de mais espetacular na natureza. Os dias que os turistas passam no Jalapão são dedicados totalmente a sentir de perto cada um dos atrativos naturais do cerrado do Tocantins. Não faltará atividade para preencher os dias e à noite você ainda terá um céu incrivelmente estrelado para curtir. Abaixo, veja mais sobre o que fazer no Jalapão!
 
Assista ao pôr do sol nas Dunas do Jalapão e na Pedra Furada
A cor dourada que emana das Dunas do Jalapão faz do lugar o mais popular de toda a região. Em meio ao cerrado, as dunas cresceram sob efeito da erosão da Serra do Espírito Santo e hoje formam um cenário magnífico no Tocantins. Percorrer as Dunas do Jalapão é sentir de perto a dimensão da beleza local. E o passeio se torna ainda mais impressionante ao pôr do sol, quando a cor das dunas se intensifica sob o entardecer. A subida até o topo da duna principal é fácil e o roteiro faz parte de todas as agências que visitam o Jalapão. O ideal é chegar com tempo de sobra para curtir a mudança de cores da areia que acontece ao final da tarde e também para caminhar por várias dunas, não só pela duna principal.
 
Se o seu negócio é ver pôr do sol, não perca também a chance de assistir a esse espetáculo na Pedra Furada. A formação de arenito em meio ao cerrado ganhou buracos naturalmente esculpidos pelo vento que tornam o lugar ainda mais especial. O sol entra pelas frestas da rocha e fazem da Pedra Furada um ponto imperdível para investir em lindas fotos do Jalapão.
 

Flutue em vários fervedouros
O fenômeno é único e, exatamente por isso, tão especial. Ao visitar o Jalapão, não deixe de experimentar a sensação de flutuar em um dos fervedouros da região. As nascentes em meio ao cerrado do Tocantins brotam de lençóis freáticos com tanta pressão que fazem com que as pessoas flutuem na água sem nenhum esforço. A areia em suspensão na água dá a falsa impressão de que há fundo na piscina dos fervedouros. Não se engane!
 
Nos pontos onde brota a água das nascentes é impossível tocar o pé no chão. Estima-se que haja fervedouros com até trinta metros de profundidade. Apesar da estranheza inicial ao nadar em um local "sem fundo", a experiência é absolutamente incrível. Entre os fervedouros mais famosos estão o Fervedouro do Ceiça, primeiro a ser descoberto, e o Fervedouro Bela Vista, considerado o mais bonito da região. Veja mais sobre os fervedouros do Jalapão.
 
Faça a trilha da Serra do Espírito Santo ao nascer do sol
O cenário da Serra do Espírito Santo marca a entrada do Parque Estadual do Jalapão ao lado das dunas. Do alto da areia dourada, é possível ver a imponente formação de arenito onde começa o processo de erosão que dá origem ao "Deserto do Jalapão". Porém é do alto da própria serra que a paisagem é ainda mais impressionante. Contudo, para chegar até lá, é preciso enfrentar uma árdua subida, equivalente a um prédio de 83 andares. A trilha até o mirante principal leva, em média, cinquenta minutos. O mais recomendado é fazê-la ainda de madrugada, quando o calor é menos intenso. Ao final do percurso, o presente para os turistas é o espetacular nascer do sol atrás da serra.
 

Curta o Rio Novo
Considerado um dos maiores rios de água potável do mundo, o Rio Novo cruza o caminho dos turistas em vários pontos do Jalapão. Aproveite para curtir o lugar de várias maneiras, seja em uma praia de areia branca à margem do rio, apreciando o visual da grandiosa Cachoeira da Velha ou em um emocionante rafting ou caiaque, descendo pelas corredeiras. O importante é não deixar de experimentar as límpidas e refrescantes águas do Rio Novo sempre que possível.
 

Visite várias cachoeiras
O Jalapão tem sido chamado de o Deserto das Águas, isso porque em meio à paisagem inóspita do cerrado há diversas cachoeiras nos rios que cortam a região. Aproveite para se refrescar em cada uma delas! A maior — e mais famosa — queda d’água do Jalapão é a Cachoeira da Velha, que encanta pela potência da água que desce do Rio Novo e permite até a prática de rafting. Já a Cachoeira do Formiga está entre as mais lindas atrações da região, tudo devido à impressionante e intensa coloração verde das águas. O poço é um dos melhores para banho e a cachoeira conta ainda com uma deliciosa piscina natural transparente.

Observe o céu à noite

O Jalapão é daqueles lugares com dias maravilhosos e noites ainda mais espetaculares. Especialmente na seca, quando as chuvas são escassas, o sol oferece espetáculos para os visitantes, porém é à noite que tudo se torna ainda mais impressionante. Para quem mora em grandes centros urbanos, é muito raro ver um céu estrelado, mas no Jalapão a intensidade das estrelas é tamanha que é possível até mesmo ver a via láctea a olho nu. Se você é um fã de estrelas, não deixe de levar uma boa câmera e um tripé para registrar um pouco da imensidão do céu do Jalapão também depois do anoitecer. Quem sabe dá até para aliar a observação das estrelas com uma fogueira ou um banho no Rio Novo.

Como Chegar?
A região do Jalapão está localizada no extremo leste do estado do Tocantins, a 300 km da capital Palmas, principal porta de entrada para quem chega de todo o país em busca das belezas da região. O Aeroporto de Palmas (PMW) recebe voos diretos apenas das cidades de São Paulo, Brasília e Goiânia. Quem chega de outras regiões terá que fazer ao menos uma conexão para chegar à capital do Tocantins. Também é possível chegar a Palmas por via terrestre, com ônibus interestadual ou de carro. Todavia é importante saber que será necessário um veículo com tração nas quatro rodas para percorrer as estradas do Jalapão.
 
O Jalapão é formado por vários municípios, entre eles Novo Acordo e Ponte Alta do Tocantins, principais portas de entrada para quem viaja a partir de Palmas; Mateiros, cidade base para grande parte das atrações; e São Félix do Tocantins, cidade de saída para quem percorre o circuito circular do Jalapão e termina em Palmas. As atrações mais visitadas do Parque Estadual do Jalapão (localizado dentro da região do Jalapão) estão mais próximas às cidades de Mateiros e São Félix, porém há boas atrações em vários municípios. 
 
Não há aeroportos para voos comerciais no Jalapão e a única maneira de chegar à região é por via terrestre. O asfalto, a partir de Palmas, vai até Ponte Alta do Tocantins, de onde o trajeto segue em estrada de terra ou areia e um veículo com tração nas quatro rodas se torna obrigatório para chegar às atrações. Para quem vai viajar com uma agência, tour contratado, guia particular ou transfer, não há com o que se preocupar. Os motoristas e guias são experientes nas estradas do Jalapão e dificilmente haverá problema no trajeto.
 
Para os turistas que desejam ir ao Jalapão por conta própria, a atenção precisa ser redobrada, isso porque as estradas da região são muito difíceis. O terreno arenoso costuma ser traiçoeiro e motoristas pouco experientes na região ou em veículos 4x4 correm grande risco de atolar, principalmente na época da seca, quando o terreno se torna ainda mais fofo. A principal via de acesso para o Jalapão, a partir de Palmas, é a TO-030 até Santa Tereza do Tocantins, e depois a TO-130 até Ponte Alta. O trajeto de Palmas até Ponte Alta é todo asfaltado, depois segue em pista de terra e areia. Para quem vai até Mateiros, a viagem continua pela TO-255.
Dicas

Roupas​

O Jalapão é bem quente, por isso o ideal é investir em roupas leves e, preferencialmente, de secagem rápida e com proteção contra raios UV. Muitas atrações envolvem água, como cachoeiras, rios e fervedouros e é comum ficar com peças de roupa molhadas durante o dia. Caso seja um incômodo, lembre-se de ter sempre à mão uma muda de roupa seca para trocar antes de pegar a estrada. O conselho vale principalmente para quem estará em carros com ar-condicionado. Corpo molhado, clima quente e ar frio são ótima combinação para um resfriado.

 

Quem pretende fazer trilhas no Jalapão, como a da Serra do Espírito Santo, deve levar ao menos uma calça para evitar machucar a perna durante o trajeto. Apesar do tempo quente, um casaco leve é sempre bem-vindo. Ele protegerá o corpo dentro do carro com ar-condicionado e também ao anoitecer, quando a temperatura cai um pouco. Na época da chuva, vale investir em um casaco impermeável.

 

Lembre-se sempre de levar uma toalha, preferencialmente de secagem rápida, tanto para a viagem quanto para os passeios. Nem todas as pousadas oferecem toalhas de boa qualidade e ter uma extra ajudará muito. Durante os passeios, elas serão úteis para não entrar nos veículos com o corpo molhado. Roupas de banho são obrigatórias no Jalapão. Há vários passeios que envolvem água.

Um chinelo é fundamental. Nem sempre a sapatilha será necessária e o chinelo ajudará em boa parte das atrações. Vale também para relaxar dentro do carro.

 

Lista básica de itens para levar

  • Câmera fotográfica e câmera fotográfica subaquática (com acessórios)

  • Sapatilha para a água e trilha

  • Lanterna

  • Máscara de mergulho

  • Protetor Solar

  • Repelente contra insetos

  • Medicamentos de uso pessoal

  • Sabonete, shampoo e condicionador (não têm em todas as pousadas)

  • Roupas de banho

  • Mochila (evite mala de rodinha ou mala rígida)

  • Casaco leve

  • Toalha

  • Boné, chapéu e óculos de sol

  • Carregador externo de bateria

  • Bolsa e casaco impermeável

Infraestrutura

Poucos estabelecimentos aceitam cartão de crédito no Jalapão. O ideal é levar uma quantia em dinheiro para não passar aperto. O valor de R$ 100 reais por dia será suficiente para bebidas e pequenos gastos.

 

Caixas eletrônicos não são encontrados com facilidade no Jalapão. Agências dos Correios podem ajudar em situações emergenciais.

 
Comunicação

Sinal de celular e internet é coisa rara nas estradas do Jalapão. É comum passar longos períodos sem nenhum ponto de sinal do celular. A operadora que melhor "pega" na região é a Claro. Celulares da Vivo funcionam em alguns momentos, já a TIM não oferece sinal algum.

 

Algumas pousadas oferecem Wi-Fi para os hóspedes, mas não é garantido. Não conte com a internet para resolver questões emergenciais, como pagamentos. Deixe tudo resolvido antes da viagem.

Segurança

O Jalapão é uma região bem segura para o turismo, porém é preciso tomar os cuidados comuns a qualquer lugar, como trancar o veículo, não deixar bens de valor à mostra e não largar bolsas e mochilas muito distantes.

777 TUR: Desde 2010!!!

Faça Seu Pedido Abaixo:

AV.BARÃO DE MAUÁ, 684, 1° ANDAR - MAUÁ SÃO PAULO - 09310-000

TELEFONE: (11) 2375-7377 / (11) 2375-7477

WHATSAPP: (11) 97218-9884

E-MAIL: contato@777tur.com.br

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • LinkedIn - Black Circle
  • Google Maps - Círculo preto